segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

Felicidade



Eu abri a porta da felicidade. Eu limpei a janela pra poder abri-la, porque já estava emperrada com tanta poeira, eu limpei e abri, eu deixei o Sol entrar pelas grades e bater no tapete escuro de mágoas, arrumei a cama e troquei a fronha do travesseiro molhado de lágrimas.

Eu coloquei um band-aid de bichinhos no meu dedinho que bateu na quina, tirei o lixo pra fora, todo aquele lixo que estava ali há tempos, eu passei o perfume mais doce e coloquei a saia mais florida, eu abri a porta pra felicidade entrar no meu quarto e passei por ela, eu corri até o jardim, olhei pro céu e deixei a felicidade me habitar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário