domingo, 16 de fevereiro de 2014

Ao que se deu em nós...




Ao que se deu em nós, já não sei explicar. Ao que foi dessa crônica infantil de felizes para sempre, mesmo não sendo felizes a todo tempo, não sei dizer o que se é.
Sei que um coração morto bate dentro de mim, em putrefação ele pulsa fortemente. Sei que me sinto como uma rosa secando, e de nós sei que uma leve brisa bate, passa por nós e singelamente nos arrepia. Sinto você escorregando pelas minhas mãos, me deixando calada num cantinho gelado e se preparando para voltar daqui a alguns segundos.

Não sei até hoje o que se dá de dois corpos, duas almas livres, que se prendem sob a luz da noite.


♥♥

Nenhum comentário:

Postar um comentário