terça-feira, 26 de setembro de 2017

Maus bocados



Todos temos nossos dia ruins, péssimos, extremamente horríveis. Aquele dia em que levantar da cama se torna uma prova do exército e se você consegue levantar parece que tem um monstro acoplado nas suas costas ou que um trem de carga te acertou com toda a velocidade!
Sua cara não nega a batalha interna que você está travando e assim todos começam a te perguntar "você tá bem?", você respira e balança a cabeça positivamente só para que eles se afastem, te deixando na busca na paz, quando na verdade você só queria ficar em um abraço deixando a dor sair em forma de lágrimas.
E ontem, mais uma vez, senti vontade de desistir de tudo o que já tinha conquistado e o que estou conquistando. Senti meu coração apertar e entalar na garganta, eu mal conseguia respirar no ritmo normal quem dirá respirar fundo e percebi que se eu engolisse o desespero talvez fosse melhor do que cuspir o alívio.
Parece que alguns dos rumos que a vida leva acaba deixando tudo pior ainda e aí eu me isolo, me fecho do resto e começo a viver outra órbita onde ninguém pode me lembrar do caos que estou/sou, aliás mas eu nunca acreditei que fazia parte do planeta terra mesmo!
Chorar é o escape mais aceitável, mesmo que nos fizesse sentir vazios e em carne viva por dentro. Tudo o que eu preciso talvez seja uma pausa, algumas gavetas e pastas para poder organizar cada canto meu e poder sorrir por prazer e não pra disfarçar que eu tô perdida sem gps.
Talvez eu tenha sido meio grossa com alguém ontem à tarde ou voltando pra casa, aquilo não era eu falando era a tal da ansiedade que me visita com mais frequência e sempre esquece alguma coisa antes de ir embora. Então aceite minhas desculpas e acredite que eu não sei como parar, acredite quando eu falo que não tô mais aguentando pois é a minha realidade e não forma de expressão.

♥️♥️

Nenhum comentário:

Postar um comentário